A Síndrome do Castor

A Síndrome do Castor

Olá, Amigos!

Que alegria escrever-lhes!

Aprendi de um amigo uma lição sobre algo que eu nunca ouvira antes: a síndrome do castor. Disse-me que o castor é um animal extremamente precavido, mas ruim de cálculo. Assim, ele acaba estocando tanta comida, que nem tem onde guardar. A toca do castor fica completamente abarrotada de excessos.

Assim somos muitos de nós, concurseiros, que às vezes compramos quatro, cinco, seis livros de uma mesma disciplina, achando que vamos precisar de todos eles para aprender o que é necessário.

Há um risco iminente nesta prática: ficamos atolados de material até o pescoço, e não temos tempo de estudar nem sequer a metade. É como se o simples fato de ter muitos livros nos deixasse mais próximos da aprovação...

E isso não é verdade!

Conheci colegas fiscais da Receita que foram aprovados estudando um único livro por disciplina. (Mesmo porque não tinham dinheiro para comprar mais de um). Por favor, não me entendam mal. Não estou dizendo que ter livros é algo ruim. Estou dizendo apenas que ter dezenas de livros parados na estante não é garantia nenhuma de aprendizado.

Só há, na verdade, um tipo de livro que vai lhe servir na hora da prova: aquele que foi estudado.

Assim, se o dinheiro está curto e só dá para ter um livro de cada matéria, ótimo! Faça deste livro a base do seu conhecimento. Com um livro bem indicado, alguém consegue preparar-se adequadamente para o Direito Constitucional, para o Direito Administrativo, para o Direito Tributário, para a Contabilidade, para a Língua Portuguesa, para o Raciocínio Lógico etc.

Um bom livro de cada disciplina, se for muito bem estudado, vai lhe aproximar da aprovação muito mais que vários livros guardados na estante.

O problema todo é a síndrome do castor! Acabamos nos iludindo, e achando que nunca temos material suficiente para mergulhar de vez nos estudos.

Daqui a pouco vem o efeito devastador desta síndrome: se não passamos no concurso, chegamos em casa, olhamos para a estante repleta de livros, e começamos a pensar que somos incapazes...

"Puxa, com tantos livros assim, e eu não consegui passar... Devo ser burro mesmo!"

O sujeito nem se lembra que não estudou por eles...

A mesma coisa se aplica a videoaulas! O aluno fica sôfrego por ter centenas e centenas, milhares e milhares de videoaulas guardadas em seu HD. E quando um HD fica lotado, compra outro. E mais um. E mais um...

E cria-se uma falsa sensação de segurança. Como se as aulas guardadas no HD se convertessem - num passe de mágica - em conhecimentos para alguém. A mais pura ilusão.

Assim, a minha sugestão é a seguinte: valorizem o material que tem em casa. Organizem-se para aproveitá-lo da melhor forma possível.

Eu mesmo passei por isso em minha época de aluno concurseiro. Só que no meu tempo a febre era gravar as aulas presenciais em fitas K7. Alguém se lembra do que é isso? 

E todo mundo levava o gravadorzinho para a sala de aula. Era um corre-corre danado. Vira a fita para o outro lado. Troca a pilha que acabou... E eu chegava em casa com mais três ou quatro fitas novas, todo dia. Cheias de aulas que eu nunca mais voltaria a ouvir...

Quando me dei conta disto, parei com as gravações e passei a me concentrar mais na aula. E saí ganhando. Tinha gente com o dobro de fitas que eu, e que não conseguiu ser aprovado. 

Moral da história: abram os livros! Estudem-nos! Assistam às videoaulas! Estudem-nas! Mesmo que seja apenas uma hora por dia! 

Não somos castores! Somos pessoas inteligentes, isso sim. E precisamos agir como tal.

Estamos juntos!

Um forte abraço a todos!

E fiquem com Deus!

Sérgio

olaamigos@gmail.com

Conheça o Personal, o meu Projeto de orientação para concursos públicos!