Chegou a sua vez, Amigo!

Chegou a sua vez, Amigo!

Olá, Amigos!

Estão todos bem? Espero que sim!

É imensa a satisfação com que escrevo este artigo!

Hoje trago uma história que ouvi em uma das brilhantes palestras do Nelson Xavier, um dos melhores palestrantes motivacionais que conheço. Não sei se é verídica e desconheço a autoria, mas acredito que possa contribuir de alguma forma.


Da Europa em guerra, conta-se que uma família foi forçada a sair de sua casa quando tropas inimigas invadiram a localidade onde viviam. Para fugir aos horrores da guerra, perceberam que sua única chance seria atravessar as montanhas que circundavam a cidade.

Se conseguissem êxito na escalada, alcançariam o país vizinho e estariam a salvo. A família compunha-se de umas dez pessoas, de diversas idades. Reuniram-se e planejaram os detalhes: a saída de casa, por onde tentariam a difícil travessia. O problema era o avô.

Com muitos anos aos ombros, ele não estava muito bem. A viagem seria dura.

“Deixem-me”, falou ele. “Serei um empecilho para o êxito de vocês. Somente atrapalharei. Afinal, os soldados não irão se importar com um homem velho como eu.”

Entretanto, os filhos insistiram para que ele fosse. Chegaram a afirmar que se ele não fosse, eles também ali permaneceriam.

Vencido pelas argumentações, o idoso cedeu. A família partiu em direção à cadeia de montanhas. A caminhada era feita em silêncio.

Todo esforço desnecessário deveria ser poupado. Como entre eles havia uma menina de apenas um ano, combinaram que, a fim de que ninguém ficasse exausto, ela seria carregada por todos os componentes da família, em sistema de revezamento.

Depois de várias horas de subida difícil, o avô se sentou em uma rocha. Deixou pender a cabeça e quase em desespero, suplicou:

“Deixem-me para trás. Não vou conseguir. Continuem sozinhos.”

“De forma alguma o deixaremos. Você tem de conseguir. Vai conseguir”, falou com entusiasmo o filho.

“Não”, insistiu o avô, “deixem-me aqui.”

O filho não se deu por vencido. Aproximou-se do pai e energicamente lhe disse:

“Vamos, pai. Precisamos do senhor. É a sua vez de carregar o bebê.”

O homem levantou o rosto. Viu as fisionomias cansadas de todos. Olhou para o bebê enrolado em um cobertor, no colo do seu neto de treze anos. O garoto era tão magrinho e parecia estar realizando um esforço sobre-humano para segurar o pesado fardo. O avô se levantou.

“Claro”, falou, “é a minha vez. Passem-me o bebê.”

Ajeitou a menina no colo. Olhou para o seu rostinho inocente e sentiu uma força renovada. Um enorme desejo de ver sua família a salvo, numa terra neutra, em que a guerra seria somente uma memória distante tomou conta dele.

“Vamos”, disse, com determinação. “Já estou bem. Só precisava descansar um pouco. Vamos andando.”

O grupo prosseguiu, com o avô carregando a netinha. Naquela noite, a família conseguiu cruzar a fronteira a salvo. Todos os que iniciaram o longo percurso pelas montanhas conseguiram terminá-lo. Inclusive o avô.


E aí, meus Amigos, é ou não é uma boa história?

Qualquer comentário que se faça será ínfimo em relação às imagens que vocês acabaram de criar em suas mentes, não é verdade?

A história foi retirada da internet (http://metaforas.com.br/sua-vez-vovo), não sendo, por mim, alterada.


VOCATIVO

Vocativo é tido como um termo independente em uma oração, não se relacionando sintaticamente com os demais termos.

É empregado quando se quer invocar, chamar, interpelar ou implorar o auxílio.

O uso de vírgula(s) é imprescindível para destacar o vocativo.

Chegou a sua vez, Amigo!

Analisando o título deste artigo, constatamos a presença do vocativo “Amigo”.

Na passagem do texto “Vamos, pai. Precisamos do senhor. É a sua vez de carregar o bebê.”, temos o vocativo “pai”.

Meu Amigo (outro vocativo), sempre que bater aquele desânimo, reúna todas as suas últimas forças, pois o “bebê” precisa de você!


JÁ CAIU EM PROVA!


1- IBFC/2016 – Câmara de Franca/SP – Advogado (Adaptada)

Em “Meu Deus, o que será de nós, os maduros?”, a expressão destacada exerce a função de vocativo.

CERTO (  ) ERRADO (  )


2- CESGRANRIO/2012 – DECEA – Controlador de Tráfego Aéreo (Adaptada)

Em “Algo para beber, senhora?”, a vírgula foi empregada para isolar o vocativo.

CERTO (  ) ERRADO (  )


3- COPEVE-UFAL/2015 – Prefeitura de Craíbas/AL – Auxiliar Administrativo (Adaptada)

Em “Hoje eu vou fazer uma prece pra Deus, nosso senhor.”, a expressão destacada exerce a função de vocativo.

CERTO (  ) ERRADO (  )


4- FCC/2014 – TRF/1ª Região - Analista (Adaptada)

Em “Nesse sentido, a crase pode ser antes um problema de leitura do que prioritariamente de escrita.”, a vírgula foi empregada para isolar o vocativo, uma vez que se trata de um termo relacionado com a função fática da linguagem.

CERTO (  ) ERRADO (  )


5- CESPE/2008 – MPE/RR - Analista (Adaptada)

Em “Mais preocupante, no entanto, é a situação criada pelo relator da ONU para o direito à alimentação, Jean Ziegler, que classificou os biocombustíveis como um crime contra a humanidade.”, a expressão destacada está entre vírgulas por constituir um vocativo.

CERTO (  ) ERRADO (  )


COMENTÁRIOS


1- O item está CERTO.

A expressão destacada foi empregada com o intuito de invocar, chamar, interpelar ou implorar o auxílio, exercendo a função de vocativo.


2- O item está CERTO.

O termo “senhora”, de fato, exerce a função de vocativo, portanto a vírgula foi empregada corretamente.


3- O item está ERRADO.

A expressão destacada não exerce a função de vocativo, pois não foi empregada com o intuito de invocar, chamar, interpelar ou implorar o auxílio. Trata-se de um aposto.


4- O item está ERRADO.

Apesar de ter sido empregada corretamente, a vírgula isola expressão com valor retificativo ou explanatório, embora, às vezes, possa aparecer sem esse sinal de pontuação.


5- O item está ERRADO.

Apesar de ter sido isolada por vírgulas corretamente, a expressão destacada não foi empregada com o intuito de invocar, chamar, interpelar ou implorar o auxílio. Trata-se de um aposto.


Por hoje é só, meus Amigos!

Bons estudos!

Até breve!

Abraços! 

Elias Junior

jlmeliasjunior@gmail.com

facebook.com/jlmeliasjunior