Cuidado Com a Autossabotagem

Cuidado Com a Autossabotagem

Olá, Amigos!

Tudo bem?

Vou me dirigir agora a você, no singular, só a você, Ok? A conversa agora é personalizada.

Você chegou em casa mais cedo naquele dia. 

Tinha planos de aproveitar melhor o tempo, e aprender - de uma vez por todas - como funciona aquela tal (famigerada) Demonstração do Resultado do Exercício... Afinal de contas, já não é de hoje que a contabilidade lhe rouba pontos preciosos nas provas que tem feito...

"Vou começar às sete!", você pensou. "Falta meia hora apenas".

A bem da verdade, não havia no mundo nenhuma obrigação que lhe impusesse aquela espera. Era algo da sua cabeça. Uma espécie de compensação: já que você iria estudar aquele monstro contábil, nada mais justo que dispor de alguns minutos para... (para quê, mesmo?)... 

Não importa! Seu cérebro já se deu por satisfeito com a justificativa incompleta. Já o satisfez saber que, se enfrentará um monstro, então merece sempre uma espera, qualquer que seja.

Faltando cinco minutos para a grande batalha, alguém lhe telefona com a notícia de que sua irmã está chegando de viagem, para passar uma semana na cidade. E adivinha quem ela trouxe junto? Sua sobrinha adorada de três anos.

"Não acredito! Que coisa maravilhosa! Já chegaram ao aeroporto? Ainda não? Daqui a meia hora chega o voo? Sei..."

O aeroporto, por coincidência do destino, fica a vinte minutos de sua casa. Não foi preciso quase nenhum esforço para convencer seu cérebro a aceitar aquele argumento: era preciso ir recebê-las!

"Até porque todo dia eu só começo a estudar mesmo às oito... Vou lá, rapidinho, dou um abraço e volto para os estudos..."

O diálogo entre você e seu cérebro deu-se mais ou menos assim:

- Não haverá prejuízo! Certo?

- Claro que não! Vai lá! O aeroporto fica bem aí...

- É verdade. E é bom também, porque aí eu dou uma espairecida e volto muito mais preparado para enfrentar aquele assunto tenebroso...

- É! Vai logo! Ainda está aí?

- (...)

O resto desta história nem precisa ser contado. Precisa? O voo da irmã atrasou uma hora e meia. As malas demoraram mais meia hora para aparecer na esteira. Ao ver os olhinhos da sua sobrinha amada, você chorou de emoção.

E a DRE?

"Quem? Que DRE? Ah! Aquela DRE da contabilidade? Amanhã, quem sabe... Já esperou até hoje, espera até amanhã."

Uma historinha simples e aparentemente trivial como esta pode nos trazer revelações cruciais para nossa vida. O primeiro fato que você precisa conhecer é o seguinte: este tipo de atitude evasiva – de quem deliberadamente procura todo tipo de subterfúgio para protelar o que realmente importa ser feito – chama-se autossabotagem.

Trata-se de uma espécie de comportamento mental, que se incorpora à vida cotidiana de milhões de pessoas, por toda a parte, destruindo sonhos e devastando vidas.

A autossabotagem é um inimigo cruel e silencioso. Por sua característica dissimulada, torna-se ainda muito mais temível. Claro! Não se pode combater um inimigo que não se conhece. Pior que isso: um que muitas vezes nem se julga existir. 

Meu objetivo aqui é conseguir dar-lhes a conhecer um pouco mais sobre este verdadeiro mal. Vamos começar assim: sem pensar muito, responda-me o que lhe parece mais fácil, ler um livro ou ver uma novela na televisão?

Milhões de brasileiros concordam com você, e fazem das novelas da noite quase um compromisso diário. Não importa se a novela trará alguma espécie de benefício cultural, se fará alguém crescer em instrução e conhecimento, se irá gerar um ser humano melhor ou mais capaz de enfrentar os desafios da vida. 

Nada disso faz diferença.

Milhões de pessoas as veem de suas casas, pelo mero fato de não lhes exigir basicamente nenhum esforço para isso! Este é o verdadeiro motivo!

Eis aqui a grande questão: entre dois ou mais caminhos quaisquer a seguir, nosso cérebro sempre dará preferência àquele que lhe parecer mais fácil de ser trilhado. O real problema, meus amigos, é que nosso cérebro é criativo ao extremo. Ele é capaz até de criar situações imaginárias, convencendo-nos de sua importância, de sua prevalência, somente para nos fazer desistir de buscar o caminho do esforço.

Se você é alguém que consegue adiar várias e várias vezes o início de algum projeto ou trabalho ou estudo que sabe que lhe ajudará a vencer na vida, parabéns.

Parabéns, professor?

Sim. Isso demonstra o quanto você é uma pessoa criativa! Infelizmente, sua criatividade não está agindo em seu benefício, senão está sabotando seus planos de vitória, e cedendo lugar a uma vida de comodismo e mediocridade.

Eu quero muito passar naquele concurso e preciso estudar... mas, ai!, a novela está tão boa... mas, ai!, vai passar um filme hoje... mas, ai!, me bateu uma preguiça tão grande... mas, ai!, essa dorzinha de cabeça não está deixando... mas, ai!, meu time joga daqui a pouco... mas, ai!, tem paredão hoje no big brother... mas, ai!, enjoei dessa minha caneta... mas, ai!, a lua hoje está cheia...

A pior espécie de autossabotagem é aquela na qual você ataca a si próprio. Os argumentos são aniquiladores. Quero muito passar naquele concurso..., mas esta disciplina é dificílima, e está muito além da minha capacidade... mas sou muito limitado, jamais conseguirei... mas todo mundo é melhor e mais inteligente do que eu...

Tais pensamentos produzem um efeito devastador sobre a autoimagem e, consequentemente, sobre a autoestima de quem os aceita como verdadeiros. A autossabotagem, simplesmente, é você lutando contra seus próprios sonhos, seus próprios planos, suas metas, sua vida.

O primeiro passo para vencer a autossabotagem é assumir sua existência, e reconhecer que você tem ingenuamente se deixado ludibriar por ela.

O segundo passo é rebelar-se. Rebelar-se verdadeiramente. É gritar, no mais íntimo do seu ser, que doravante prevalecerá sua força de vontade. Prevalecerá sua coragem e sua decisão de mudar o rumo da sua vida.

A partir de hoje, a partir deste exato momento, decrete para si mesmo que você é capaz. Que você tem valor. Que você pode, sim, chegar exatamente onde almeja. Recupere e alimente a sua autoconfiança.

E se alguém lhe disser que você está sonhando alto demais, apenas ignore. Opiniões alheias depreciativas não terão poder nenhum, se você não permitir! Se algum idiota lhe disser que jamais passará no concurso, responda em silêncio, com uma atitude firme, vencendo a inércia, recusando-se a sucumbir à autossabotagem. Sua aprovação será sua resposta final.

Se algum idiota lhe disser que há poucas vagas nos concursos, responda no seu coração que você só precisa exclusivamente de uma. E que esta vaga será sua, porque você lutará bravamente por ela.

Pessoas negativas, que vivem a cuspir mensagens pessimistas, sempre haverá. Ignore-as. A única opinião que realmente interessa é a sua. 

Se você crê que pode, se você preserva e alimenta sua autoconfiança, se você não fica inerte e não aceita sabotagens de nenhuma espécie, a vitória há de chegar até você.

Para finalizar, um alerta: a luta contra a autossabotagem deve ser um exercício contínuo, ininterrupto! É como beber água: tem que ser todo dia.

Fé em você, meu amigo, minha amiga!

Estamos juntos!

Um forte abraço a todos!

E fiquem com Deus!

Prof. Sérgio Carvalho

olaamigos@gmail.com

Clique aqui e conheça os nossos Projetos de Coaching Para Concursos! São serviços individualizados, totalmente personalizados, desenvolvidos de acordo com as características e necessidades de cada aluno! Conte com a ajuda do Prof. Sérgio Carvalho e garanta a melhor preparação antecipada para o seu concurso!