De Cabeça Erguida!

De Cabeça Erguida!

Olá, Amigos!

Tudo bem com vocês?

É sempre muito bom escrever-lhes!

Quando alguém está assim meio desanimado, e um amigo tenta ajudar, qual é uma frase que normalmente é usada?

"Levante a cabeça!"

Todos nós já ouvimos isso, não é verdade? Mas creio que poucos de nós já paramos para pensar no que este gesto representa!

Vamos fazer um exercício? Imaginem aí por um instante a figura de uma pessoa depressiva, completamente abatida pelos problemas da vida, uma pessoa sem nenhum entusiasmo, vencida pelo desânimo e pela desesperança. 

Imaginem esta pessoa por alguns instantes e reparem bem nesta imagem mental que vocês estão fazendo, por favor.

É muito provável, muito provável mesmo, que vocês tenham mentalizado a figura de alguém que está prostrado. A coluna desta pessoa está dobrada (como uma letra C)  e sua cabeça está voltada para baixo. Ela olha para os pés. Nem sequer consegue erguer a vista.

Como foi que você acertou, professor? 

Essa foi fácil. Nosso cérebro já associa imediatamente este posicionamento físico (de se prostrar, se encolher e olhar para baixo) como próprio de alguém que se encontra abatido, do ponto de vista emocional.

E isto ocorre por uma razão bem simples: nosso corpo e nossa mente fazem parte de um único sistema. 

Jamais vi, até hoje, uma pessoa encurvada, prostrada, olhando para os pés, e dizendo: "Puxa, que dia mais feliz é este de hoje! Que bom estar vivo! Que presente maravilhoso é a vida!"

Impossível. 

Em contrapartida, se eu lhes pedir para imaginar agora a figura de uma pessoa cheia de energia, cheia de alegria de viver, uma pessoa entusiasmada, confiante, corajosa, disposta a lutar para vencer os desafios cotidianos, certamente a imagem que vocês farão em sua mente é a de alguém com a coluna bem reta, às vezes tão reta que a cabeça fica naturalmente voltada para cima. 

E daí, professor? Aonde é que você quer chegar?

Quero chegar ao seguinte: já que corpo e mente agem em uníssono, alterando-se um desses "elementos", o outro será automaticamente afetado.

O interessante, meus amigos, é que não existe uma única relação de causa e efeito pré-estabelecida! 

Como assim, professor?

A princípio, somos levados a crer que é apenas o corpo que reage à mente. Errado! O sistema é único, lembram? Mude a sua postura corporal, e esta simples ação terá efeito sobre o seu estado de espírito! 

É por isso, exatamente por isso, que aquele amigo que citei lá no início dirá "levante a cabeça" ao outro que está desanimado! Porque ele sabe, intuitivamente, que se alguém "levantar a cabeça", se alguém sair da postura física própria da depressão e do desânimo, a mente reagirá!

É impossível erguer a cabeça, respirar fundo e mirar o horizonte, e não sentir que algo está mudando por dentro! 

Assim, o que lhes proponho é bem simples: quando o desânimo se abater sobre vocês, não se encurvem e nem olhem para baixo. Resistam, com a coluna ereta, com os olhos voltados para a frente ou para o alto. Tentem o inimaginável para situações de abatimento: sorriam! Associem este sorriso a pensamentos vitoriosos: "Vou vencer este desafio! Nada irá me abater! Nada irá me derrotar, porque sou mais que vencedor!"

Uma vida livre de contrariedades é algo que não existe, e todos nós sabemos disso. A arte está em como reagir a elas! 

Um grande amigo meu, aluno do Olá, mandou mensagem para mim, falando sobre a previsão de 400 vagas para os próximos concursos da Receita Federal. Ele parecia estar preocupado, e me disse assim: "Professor, são poucas vagas... O que você acha?" Respondi-lhe: "Acho que se você fizer este concurso, só vão restar 399".

Vocês percebem que infelizmente não temos ingerência sobre o número de vagas de um concurso? Somente quando o edital for lançado é que saberemos qual é a oferta. Até lá, tudo o que podemos fazer - e isso não é pouca coisa! - é nos prepararmos o melhor possível!

Quando recebo alguma notícia, ou fico sabendo de algo que me entristece ou me deixa aborrecido, costumo lembrar de uma pequena oração que diz assim: "Senhor, dá-me serenidade para aceitar aquilo que não posso mudar; dá-me coragem para mudar o que for possível; e sabedoria para saber discernir entre elas".

Considerando que cada um de vocês só precisa de uma única vaga para ser aprovado, então 400 já pode ser visto como um número mais que interessante! A hora, meus amigos, é de levantar a cabeça! Jogar o desânimo para o mais longe possível! E seguir em frente!

Quem ainda não começou a fazer as minhas aulas de exatas do Curso Avançado de Raciocínio Lógico para AFRFB, que o faça imediatamente! 

Quem está precisando da melhor orientação do país para a área fiscal, que se matricule quanto antes no Personal, e passe a ser orientado pessoalmente por mim! Aproveitem que a promoção OUTUBRO PERSONAL está nos últimos dias! 

Força, coragem e muita superação, é o que eu desejo a cada um de vocês!

Estamos juntos!

Um forte abraço a todos!

E fiquem com Deus!

Sérgio

olaamigos@gmail.com