Dica de Concentração!

Dica de Concentração!

Olá, Amigos!

Tudo bem com vocês? 

Espero que tenham uma ótima semana!

Já repararam como nosso pensamento às vezes voa quando estamos estudando?

Quando menos esperamos, a leitura que estamos fazendo já perdeu o sentido dois ou três parágrafos atrás... ou até bem mais que isso! É como se estivéssemos lendo mecanicamente: as palavras não nos trazem mais nenhum significado. 

Daí, o jeito é recuar em busca daquele ponto em que ainda estávamos "presentes", compreendendo o que líamos.

Creio que a esmagadora maioria dos concurseiros já passou por isso. E é algo frustrante e muito desanimador, concordam?

Por isso mesmo resolvi escrever-lhes este artigo: para lhes trazer uma dica, capaz de agir em benefício da nossa concentração.

Trata-se de dica extremamente simples, a qual pode ser facilmente aplicada e colocada em teste por vocês. 

Antes, porém, é preciso que se diga que nosso cérebro – por mais perfeito que seja – não consegue manter-se no auge do desempenho de uma atividade intelectual por muito tempo.

A exemplo de um músculo, que se sente fatigado com a repetição de um esforço, também o cérebro precisa de “descanso”, após ser submetido a uma sessão de estudos.

“E após quanto tempo de estudo eu devo fazer uma pausa, professor?” 

Não existe uma única resposta que se aplique a todas as pessoas. É exatamente aí que entra a nossa dica: é preciso descobrir qual o seu tempo limite de bom rendimento!

“Cada pessoa tem um tempo limite diferente, professor?”

Exatamente! Para uns, será de uma hora, ou mais que isso. Para outros, 50 minutos; para outros, meia hora. 

“E como é que eu descubro o meu tempo limite, professor?”

É bem simples. Quando vocês forem estudar de novo, anotem a hora exata em que estão começando. Daí, deixem o relógio de lado e comecem a leitura. Tentem concentrar-se ao máximo, e fiquem atentos, para perceber o momento em que aquele estudo deixou de fluir. Todo mundo percebe quando chega essa hora. A leitura não tem mais fluência. A compreensão já não é mais a mesma. 

Quando esse momento chegar, parem e vejam lá no relógio quanto tempo se passou desde o início desta sessão. Anotem esse número.

Após isso, façam um intervalo de descanso de 10 minutos e repitam a experiência. E vocês ficarão surpresos ao ver que esta segunda marcação de tempo será coincidente com a primeira.

“Então este será o meu tempo limite de bom rendimento, professor?”

Quase isso! Diminuam 5 minutos a este tempo marcado no relógio, e aí sim, chegarão ao seu tempo limite de bom rendimento do aprendizado. Esta redução de 5 minutos é importante! Temos que parar um pouco antes de a concentração sofrer a sua queda natural. 

Será que me fiz entender? Se a cronometragem das suas duas sessões de estudo for de 50 minutos, então o seu tempo limite de bom rendimento a ser considerado será de 45 minutos.

Uma vez descoberto este prazo, será essencial respeitá-lo, o que implicará níveis sempre desejáveis de concentração! 

O que esta dica tem de simples, meus amigos, tem também de eficaz. Ela faz toda a diferença na vida dos concurseiros que a põem em prática! 

Que tal vocês experimentarem também?

Estamos juntos!

Um forte abraço a todos!

E fiquem com Deus!

Sérgio

olaamigos@gmail.com