“Esqueceram de mim!” disse o SE

“Esqueceram de mim!” disse o SE

Olá, Amigos!

É um prazer escrever para vocês!

Estão todos bem? Espero que sim!

Vocês se lembram do filme “Esqueceram de mim!”?

Kevin McCallister (Macaulay Culkin), de apenas oito anos de idade, foi esquecido sozinho em casa pela sua família nas férias de Natal.

A história do Kevin se confunde com a do “se”.

Quando o filme foi lançado no Brasil, o “se” ― acredito que de modo proposital ― também foi esquecido.


ESQUECER e LEMBRAR

Os verbos “esquecer” e “lembrar”, quando pronominais, serão transitivos indiretos regidos pela preposição “de”, caso contrário, serão transitivos diretos.

Esqueceram-se do Kevin. (ESQUECER-SE – TRANSITIVO INDIRETO)

Esqueceram o Kevin. (ESQUECER – TRANSITIVO DIRETO)

Esqueceram do Kevin. (CONSTRUÇÃO ERRADA)


Lembro-me do filme. (LEMBRAR-SETRANSITIVO INDIRETO)

Lembro o filme. (LEMBRAR – TRANSITIVO DIRETO)

Lembro do filme. (CONSTRUÇÃO ERRADA)


Meus Amigos, sinceramente, vocês assistiriam ao filme caso os nomes fossem “Esqueceram-se de mim!” ou “Esqueceram-me!”?

Devido à informalidade, o título “Esqueceram de mim!” aproximou o filme de seus espectadores, tornando-se um sucesso de bilheteria.


JÁ CAIU EM PROVA!


1- CESPE/2015 – TCE/RN – Auditor (Adaptada)

Em “esquece-se, no entanto, que o Poder Legislativo possui outras funções típicas, das quais o poder financeiro e o controle político são exemplos”, a correção gramatical seria prejudicada caso se substituísse “esquece-se, (...), que” por “esquece-se, (...), de que”.

CERTO (  ) ERRADO (  )


2- FGV/2011 – SEFAZ/RJ – Auditor (Adaptada)

No par “nosso amor que eu não esqueço / nosso amor de que eu não esqueço”, há adequação à norma culta.

CERTO (  ) ERRADO (  )


3- CESGRANRIO/2012 – Petrobras – Engenheiro (Adaptada)

Em “esquecemo-nos daquelas regras gramaticais”, a regência do verbo em destaque respeita a norma-padrão.

CERTO (  ) ERRADO (  )


4- FCC/2013 – AL/RN – Analista (Adaptada)

Em “lembrou-se de que o amigo gostaria de ter realizado a nova programação, mas isso não lhe fora possível devido às suas condições de saúde”, está correta a regência do verbo em destaque.

CERTO (  ) ERRADO (  )


5- FUNCAB/2014 – SEFAZ/BA – Auditor (Adaptada)

Em “o vestibular de Direito que eu ainda me lembro”, a regência do verbo em destaque é condenada pela gramática do português padrão.

CERTO (  ) ERRADO (  )


COMENTÁRIOS


1- O item está CERTO.

O verbo “esquecer”, no contexto, é transitivo direto e se encontra na voz passiva sintética. O “se” é, portanto, partícula apassivadora.

Esquece-se ISSO. / ISSO é esquecido.


2- O item está ERRADO.

Na primeira oração, há adequação à norma culta, porém, na segunda, como há a presença de preposição, o verbo “esquecer” deveria estar na sua forma pronominal.

Corrigindo: “nosso amor de que eu não me esqueço”.


3- O item está CERTO.

O verbo “esquecer”, quando pronominal, será transitivo indireto regido pela preposição “de”.

Esquecemo-nos daquelas regras gramaticais.


4- O item está CERTO.

O verbo “lembrar”, quando pronominal, será transitivo indireto regido pela preposição “de”.

Lembrou-se de que o amigo gostaria de ter realizado a nova programação, mas isso não lhe fora possível devido às suas condições de saúde.


5- O item está CERTO.

O verbo “lembrar”, quando pronominal, será transitivo indireto regido pela preposição “de”, caso contrário, será transitivo direto.

Corrigindo: “o vestibular de Direito de que eu ainda me lembro” ou “o vestibular de Direito que eu ainda lembro”.


Por hoje é só, meus Amigos!

Bons estudos!

Até breve!

Abraços!

Elias Junior

jlmeliasjunior@gmail.com

facebook.com/jlmeliasjunior