A Força Interior!

A Força Interior!

Olá, Amigos!

Tudo bem?

Certa vez, um amigo meu resolveu se dedicar ao estudo da hipnose. Fez inúmeros cursos. Aprendeu bastante. Sua intenção era poder ajudar as pessoas.

Muito animado, disse-me que alguém que esteja sob efeito hipnótico numa academia, por exemplo, consegue mover um peso muito maior do que normalmente conseguiria.

E explicou-me: não é que a pessoa se torne mais forte do que realmente é. A hipnose não altera em nada a musculatura do sujeito. Apenas faz com que ele “aceite” a sugestão de que é capaz de superar-se. E ele vai lá e se supera. Simples assim.

Então, lembrei-me de uma ocasião de minha vida, em que meu desejo de superar-me e de vencer foi tão grande, que algo de muito surpreendente me aconteceu. 

Vou lhes contar como foi.

O ano era 1997, e eu acabara de ser aprovado na primeira etapa (a prova escrita) do concurso da Polícia Federal, para o cargo de Papiloscopista. 

Depois desta prova escrita, houve também os exames médico e psicotécnico, e eu passei também em ambos.

Mas o desafio não havia terminado. Vinha pela frente o temido “teste físico”, o qual era, reconhecidamente, a fase posterior à prova escrita que mais derrubava os candidatos neste concurso.

Eu era jovem (um pouco mais que hoje). Tinha 25 anos de idade. Conseguia sair-me bem em praticamente todas as modalidades daquele exame físico: natação, salto em distância, salto em altura, corrida de velocidade, corrida de resistência...

Mas tinha uma tal de “barra”, que estava difícil de enfrentar. Era preciso ter força no braço, para erguer o corpo, fazendo a cabeça subir acima daquela barra por cinco vezes consecutivas.

E quem disse que eu conseguia fazer aquilo? Para meu desespero, o melhor resultado que tive, na véspera do teste, foram 3 barras. Ou seja, no dia seguinte, eu estaria reprovado, e todo o meu esforço para chegar até ali cairia por terra.

Antes de dormir, como de praxe, fiz minha oração pessoal e coloquei minha vida na mão dAquele que pode bem mais que eu. Pedi a Deus que tomasse conta da situação. 

Acredito realmente que sou um homem muito abençoado, meus amigos e minhas amigas, pois minha fé nunca me faltou nos momentos mais difíceis. 

No dia seguinte, percebi que não era só eu que estava com a mesma dificuldade naquele teste. A fila caminhava, e vários concorrentes que foram antes de mim foram desclassificados, por não conseguir completar as 5 barras.

Quando chegou a minha vez, não sei bem descrever o que aconteceu. Meu desejo de vencer era tão grande, mas tão grande, que fui tomado por uma energia que só podia vir do alto. Senti em meus braços uma força que eu mesmo desconhecia.

E comecei a fazer o teste. Foi um momento tão intenso para mim, que não me lembrei nem sequer de contar quantas barras estava fazendo. Só me lembro que comecei a ouvir muitas risadas, vindas dos meus colegas de prova. E ouvi o examinador dizendo assim: “Ok, Ok, já pode parar...”

Foi quando me disseram que eu já havia feito oito barras!

Nem eu podia acreditar. 

Fui aprovado naquele concurso. Eram 36 vagas para todo o Brasil, e fiquei em décimo lugar.

Essa história verídica me ensinou que não é preciso estar hipnotizado para realizar feitos incríveis de superação. 

A vontade sincera de vencer, a fé em Deus, a esperança num futuro melhor, a coragem de enfrentar os obstáculos, tudo isso faz com que o extraordinário aconteça em nossa vida!

Tudo isso que vivi, meus amigos e minhas amigas, fez de mim alguém capaz de reconhecer o potencial das pessoas à minha volta. Consigo claramente enxergar a força interior que se passa muitas vezes despercebida por tanta gente.

E é por isso que estou aqui, até hoje, todos esses anos depois, trazendo para vocês, além das aulas, tantos artigos de incentivo, com mensagens nas quais eu verdadeiramente acredito.

Espero que estas minhas palavras os ajudem a buscar em si esta força que trazem consigo – e que estava aí o tempo todo. E sei que isto será um novo marco na vida de cada um!

É o que mais sinceramente lhes desejo!

Estamos juntos!

Um forte abraço a todos!

E fiquem com Deus!

Prof. Sérgio Carvalho

olaamigos@gmail.com