Estudar ou Trabalhar?

Estudar ou Trabalhar?

Olá, Amigos!

Tudo bem?

Ao longo de todo este tempo em que estou próximo do "universo concurseiro", uma das perguntas mais frequentes que recebo dos meus alunos e orientandos é a seguinte: "Professor, será que eu devo largar o trabalho, para ficar apenas estudando para o meu concurso?"

Há outros, no entanto, que estão somente dedicados aos estudos, quando de repente surge alguma oportunidade de empregar-se e ganhar algum dinheiro. E vem de imediato a questão: "Devo aceitar este trabalho? Ou isto irá atrapalhar muito os meus estudos e me impedir de ser aprovado? "

São questões delicadas, meus amigos e minhas amigas, e certamente não há uma resposta única e miraculosa capaz de atender a todas as situações!

Cada caso é um caso! 

Meu propósito aqui é apenas o de trazer uma visão mais experiente, e fornecer subsídios extras para que vocês próprios tenham mais elementos para decidir! 

Repito: esta decisão de assumir ou não um emprego, ou de largá-lo para ficar só estudando, é personalíssima! Ninguém pode bater o martelo por vocês, Ok? Ademais, são vocês quem irão arcar com as consequências do que for decidido. Não cabe deixar a outrem o encargo desta responsabilidade!

De início, fique claro que ser aprovado em concurso enquanto divide o tempo entre estudos e trabalho é algo possível. Eu sou prova viva deste fato. Nunca tive o “privilégio” de poder apenas estudar. Pelo contrário: durante boa parte da minha jornada de concurseiro, cheguei a trabalhar três expedientes, porque já lecionava à noite. 

E ainda assim, deu certo! 

Em contrapartida, é notório que há muita gente que se encontra numa situação especial, de dispor de todo o tempo do mundo para fazer o que bem quiser, podendo dedicar-se aos estudos por muito mais horas que aqueles que trabalham, e ainda assim não o fazem.

Parece de fato um paradoxo, mas às vezes quem dispõe de menos tempo acaba dando mais valor ao pouco que tem, e se superando. 

Obviamente que há exceções.

Há também o fato de que muita gente se cansa de ficar o dia inteiro isolado, tentando cumprir aquelas horas de estudo. E se estivesse trabalhando, além de sair de casa e de interagir com outras pessoas, ainda desviaria um pouco a mente do pensamento exclusivo em concursos. De certo modo, isso pode ter seu lado positivo!

Mas aqui, igualmente, há exceções! 

Vocês percebem que há muitas nuances envolvidas?

Antes de decidir, convém criar alguns critérios de análise. Eis algumas perguntas que vocês podem se fazer:

1) Se eu assumir um emprego agora, ou largar o que tenho, quantas horas por semana irei dispor para meus estudos na nova situação?

2) Caso eu assuma um novo emprego, e passe a ter menos tempo para estudar daí em diante, estou disposto a prolongar a minha vida de concurseiro por mais alguns meses ou mais alguns anos?

3) Se eu largar o emprego em que estou, no intuito de ter mais tempo para estudar, quanto a falta daquele salário afetará a minha vida e a da minha família?

4) Se eu de fato decidir-me por largar o emprego, terei realmente condições de cumprir uma carga horária aumentada de estudos semanal? 

5) Se eu largar o emprego, e passar a dedicar mais horas aos estudos, e ainda assim não for aprovado no prazo que eu imaginava que conseguiria, como reagirei a isso? Existe um plano alternativo?

Estas são algumas questões importantes a ser consideradas, e podem vir a lançar uma luz sobre o problema. Mas não são as únicas! Recomendo que aproveitem estas primeiras perguntas que relacionei acima, e que acrescentem outras tantas que julguem relevantes.

Quando orientandos meus me trazem este dilema, sempre busco aconselhar o máximo de cautela, a fim de evitar, tanto quanto possível, qualquer tipo de precipitação. 

No mais, recomendo a oração. Sempre pedi orientação a Deus, e que Ele me mostrasse o melhor caminho para a minha vida. Vocês também podem fazer isso! A fé não costuma falhar!

Estamos juntos!

Um forte abraço a todos!

E fiquem com Deus!

Sérgio

olaamigos@gmail.com