PRF: portaria pode agilizar concurso

PRF: portaria pode agilizar concurso

O ministro da Segurança Pública, Raul Jungmann, divulgou, por meio de publicação no diário oficial desta terça, dia 14, a portaria 122, que delega ao diretor-geral da Polícia Rodoviária Federal (PRF), Renato Dias, a competência sobre os procedimentos para a realização do concurso público para o preenchimento de 500 vagas para o cargo de policial rodoviário.

>> PACOTE BÁSICO P/ CONCURSOS: Português, Informática, Raciocínio Lógico, Matemática, Estatística e vários outros cursos! BÔNUS: palestras do Prof. Sérgio Carvalho (motivação e técnicas de estudo) e Coaching Em Videoaulas! Clique aqui e conheça!  

A publicação desse documento pode agilizar a elaboração e divulgação do edital, uma vez que dá maior autonomia ao órgão para tomar as medidas necessárias ao início do certame. A intenção da PRF é publicar o edital ainda em agosto. Mas para isto ainda precisa definir o nome da banca organizadora, o que pode ocorrer a qualquer momento.

Ao contrário do que foi divulgado em outros órgãos de comunicação, Jungmann não fez qualquer tipo de declaração, dizendo que o edital já pode ser publicado, mas apenas liberou a portaria que delega poderes ao órgão para que tome as providências necessárias para agilizar o certame.

É preciso lembrar que a PRF já conta com uma minuta de edital pronta, que vem sendo elaborada desde o final de 2016, com o objetivo de permitir que o concurso fosse iniciado imediatamente após autorizado. A autorização, publicada em 27 de julho, determina um prazo de até seis meses para a publicação do edital, ou seja, até 27 de janeiro. Porém, o órgão não deve aguardar este limite para iniciar o certame, tendo em vista que a intenção inicial do ministro da segurança era publicar o documento em junho, o que somente não foi possível em decorrência do impasse pelo aumento da oferta, que acabou atrasando a autorização do MPDG.

>> Tem dificuldade em Raciocínio Lógico e Matemática? Então conheça o Pacote Sérgio Carvalho: Raciocínio Lógico, Matemática, Estatística e Matemática Financeira com teoria completa partindo do zero! Clique aqui e conheça!

De qualquer forma, o quantitativo não deve suprir as necessidades do órgão. De cordo com o diretor-geral da PRF, Renato Dias, a PRF precisa de 3.000 novos servidores, que podem ser convocados pelo aproveitamento de remanescentes do novo certame, independente da oferta imediata de 500 vagas. O motivo é que, somente em 2018, aproximadamente 2.000 servidores deverão se aposentar.